Você sabia que..


...

A campanha Voltar

Objetivo

O foco principal da campanha √© estabelecer uma rede nacional de doadores de sangue de forma estruturada e de car√°ter regular com intuito de consolidar a rede local de doadores e, assim qualificar e evitar a queda dos n√≠veis de estoques de sangue nos Hemocentros. Sens√≠vel a aus√™ncia de uma interface nacional entre doadores e centros coletores, a CNM busca caminhar conjuntamente com os prefeitos e gestores municipais de sa√ļde no alcance de uma a√ß√£o coordenada e nacional, tornando cada volunt√°rio um agente permanente de doa√ß√£o de sangue. O ponto de encontro entre doadores e unidades de coleta ser√° a plataforma nacional da Confedera√ß√£o Nacional de Munic√≠pios (CNM). Para al√©m da pr√°tica da doa√ß√£o de sangue, a CNM tamb√©m esclarecer√° e incentivar√° as pessoas a se autodeclararem doadores de √≥rg√£os.

Essa a√ß√£o concreta do Movimento Municipalista pode ser um motor de transforma√ß√Ķes na realidade da falta de sangue para quem precisa.

Justificativa

Dados da ONU apontam que o Brasil, apesar de coletar o maior volume de sangue em termos absolutos na América Latina, doa proporcionalmente menos do que outros países da região, como Argentina, Uruguai ou Cuba.

Revelando ainda outra particularidade da doa√ß√£o de sangue no Brasil: seis em cada dez doadores (59,52%) s√£o volunt√°rios (ou espont√Ęneos, aqueles que doam com frequ√™ncia sem se importar com quem vai receber o sangue), propor√ß√£o inferior √† de Cuba (100% s√£o volunt√°rios), Nicar√°gua (100%), Col√īmbia (84,38%) e Costa Rica (65,74%).

O restante (40,48%) √© formado por doadores de reposi√ß√£o, ou seja, aqueles que doam por raz√Ķes pessoais (quando um amigo ou parente precisa de sangue). Especialistas da √°rea dizem preferir os doadores volunt√°rios aos de reposi√ß√£o pois conseguem ter maior controle sobre a proced√™ncia e qualidade do sangue.

Segundo o Minist√©rio da Sa√ļde, no ano passado, foram coletadas 3,7 milh√Ķes de bolsas de sangue, 200 mil a mais do que em 2013 ‚ĒÄ uma alta de 4,55%. J√° as transfus√Ķes cresceram 6,8% no per√≠odo (3,3 milh√Ķes em 2014 contra 3 milh√Ķes em 2013).

Ainda assim, em termos gerais, somente 1,8% da popula√ß√£o brasileira entre 16 e 69 anos doam sangue ‚ĒÄ a ONU considera "ideal" uma taxa entre 3% a 5%, caso do Jap√£o, dos Estados Unidos e de outras na√ß√Ķes desenvolvidas.

Responsabildade Social

As dimens√Ķes sociais e de sa√ļde ao se doar sangue representam a tomada de consci√™ncia de uma sociedade que tem por obriga√ß√£o saber e atender √† demanda por transfus√£o de uma forma universal. A consci√™ncia quanto √† doa√ß√£o de sangue n√£o deve ser associada apenas a um ato de solidariedade, mas sim a um ato de cidadania e de responsabilidade social.

O volume de 450 ml de sangue armazenado em cada bolsa pode salvar at√© quatro vidas e ainda levar esperan√ßa a pacientes que dependem das transfus√Ķes para viver. Vale ressaltar que doa√ß√£o de sangue dura cerca de uma hora e n√£o traz riscos √† sa√ļde.