Você sabia que..


...

Notícias Voltar


Terceira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra gripe começa hoje

11 de maio de 2020

Gov. ALDividida em duas frentes, a terceira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe começa nesta segunda-feira, 11 de maio. A estratégia é imunizar pessoas com deficiência; crianças de 6 meses a menores de 6 anos; gestantes; e mães no pós-parto até 45 dias até dia 17. De 18 de maio a 5 de junho, professores de escolas públicas e privadas e adultos de 55 a 59 anos de idade devem ser vacinados.

 

A meta do governo é alcançar, pelo menos, 90% de cada grupo prioritário. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) informa sobre o novo público alvo da campanha nacional e indica a promoção de ações locais para imunizar a população prioritária, uma vez que a prevenção impacta diretamente nos atendimentos dos postos de saúde. No entanto, a vacina contra a influenza não protege do novo coronavírus (Covid-19).

 

Sobre a meta de 2020, na segunda fase apenas 36% do público-alvo foi vacinados, ou seja, 5,6 milhões de pessoas, segundo balanço do Ministério da Saúde (MS). Do público priorizado, profissionais de transporte coletivo (motoristas e cobradores), caminhoneiros e portuários registraram a menor imunização. Apenas 467 mil doses foram aplicadas, quando a estimativa era a de vacinar 2,6 milhões de profissionais.

 

Também fizeram parte da segunda fase, povos indígenas, integrantes das forças de segurança e salvamento; doentes crônicas e outras condições clínicas especiais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; presos e funcionários do sistema prisional. Já a primeira etapa foi direcionada a idosos com 60 anos ou mais e a trabalhadores da saúde. Mais de 18,9 milhões de idosos foram vacinados, o que corresponde a 90,66% do público; e 3,8 milhões dos profissionais de saúde, representando 75,5%,

 

Até 18 de abril deste ano, foram 1.696 casos de pessoas hospitalizadas com Síndrome Respiratória Aguda Grave por conta da gripe Influenza em todo o país. O governo contabiliza 163 mortes pela doença. Do total de casos cuja subtipagem foi identificada, 468 foram de influenza A (H1N1), com 66 óbitos; 45 casos e 10 óbitos por influenza A (H3N2), 263 de influenza A não subtipado, com 43 mortes; e 399 casos e 44 óbitos por influenza B. 


Da Agência CNM de Notícias, com informações da EBC