Você sabia que..


...

Notícias Voltar


Campanha contra sarampo será ampliada após baixa adesão da população

17 de julho de 2020

09012018 vacina EBCO isolamento social provocado pela pandemia do coronavírus (Covid-19) contribuiu para a baixa adesão da população à campanha de vacinação contra o sarampo e apenas 4,2 % do público-alvo foi vacinado. Diante do cenário, o Ministério da Saúde optou por ampliar a vacinação, de pessoas de 20 a 49 anos, para até 31 de agosto, em todo o país. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) reforça a importância da vacina.

O sarampo é uma doença grave e de alta transmissibilidade. Uma pessoa infectada pode transmitir para até outras 18 pessoas. A disseminação do vírus ocorre por via aérea ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Neste caso, não é necessário o contato direto porque o vírus pode se disseminar pelo ar a metros de distância da pessoa infectada.

Desde o início da campanha, em 16 de março, até o dia 15 de julho, segundo dados das secretarias estaduais de saúde, registrados no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações, foram vacinadas 3,7 milhões de pessoas nessa faixa etária. Nesta quarta etapa da Mobilização Nacional de Vacinação contra o Sarampo, a população alvo nesta faixa etária totaliza mais de 90 milhões de pessoas.

A recomendação do MS é que, se a pessoa não tomou nenhuma dose da vacina, perdeu o cartão ou não se lembra, deve receber apenas uma dose da vacina. Em caso de dúvida, a orientação é procurar uma unidade básica de saúde de seu Município levando o cartão de vacinação e um documento. Lá a situação vacinal será avaliada e atualizada conforme recomendações do calendário básico de vacinação.

De acordo com a pasta, para viabilizar a estratégia de vacinação, foram enviadas 4,3 milhões de doses extra da vacina, além do quantitativo para o atendimento de rotina. Também está em andamento a aquisição emergencial de 29 milhões de seringas e agulhas para apoiar os Estados no andamento da operacionalização da vacinação.

Números
Segundo o último Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde de 2020, até 27 de junho, foram confirmados 5.642 casos de sarampo em 21 Estados. O Pará foi o que mais teve registros, foram 3.237 (57,4%), seguido do Rio de Janeiro, com 1.192 casos ( 21,1%), São Paulo, com 688 casos (12,2%); Paraná, com 248 casos (4,4%) e Santa Catarina? que registrou 111 casos ( 2%).

O Brasil permanece com surto de sarampo nas cinco regiões, com 11 Estados com circulação ativa do vírus. No momento, o país registra cinco óbitos pela doença, sendo três no Pará, um no Rio de Janeiro e um em São Paulo.

Sintomas
Pessoas acometidas pela doença apresentam febre, manchas avermelhadas pelo corpo, tosse, coriza, conjuntivite (olhos vermelhos e lacrimejantes), fotofobia (sensibilidade à luz) e pequenas manchas brancas dentro da boca.


Da Agência CNM de Notícias, com informações da Agência Brasil