Você sabia que..


...

PERGUNTAS FREQUENTES Voltar

O candidato à doação deverá ser atendido por um profissional do Serviço de Hemoterapia, que realiza um teste rápido para verificar se o doador está ou não anêmico.
O uso de medicamento deve ser analisado caso a caso. Portanto, antes de doar consulte o profissional do Serviço de Hemoterapia.
O procedimento todo (cadastro, aferição de sinais vitais, testes, triagem clínica, coleta do sangue e lanche) leva cerca de 40 minutos a 1 hora.
O organismo repõe o volume de sangue doado nas primeiras 24 horas após a doação.
Sim. Dietas para emagrecimento não impedem a doação de sangue, desde que a perda não tenha comprometido a saúde.
Depende do porquê a pessoa está tomando antibióticos. Em linhas gerais, para infecções simples e sem complicações, o doador deve aguardar 15 dias após a última dose do antibiótico para doar sangue. Infecções mais graves como pneumonia, meningite, entre outras, podem necessitar de um tempo maior para liberação do candidato à doação.
Dependendo do motivo, a doação pode ser realizada normalmente. Não se esqueça de informar o nome do antiinflamatório que você está tomando.
Depende do tipo de tratamento. Caso o tratamento inclua o uso de antibióticos ou outros remédios de uso oral, não será possível doar.
Pode, mas é importante que no dia da doação o doador esteja sem dores.
Não. Mas se o parto for normal, a mulher pode doar depois de três meses. Em caso de cesariana, após seis meses. Se estiver amamentando, aguardar 12 meses após o parto.
O doador não deve estar em jejum. Tem que estar alimentado e descansado, evitar alimentação gordurosa nas quatro horas que antecedem a doação.
Recomenda-se aguardar sete dias após a cura para poder doar.
Se a pessoa que tenha diabetes estiver controlando apenas com alimentação ou hipoglicemiantes orais e não apresente alterações vasculares, poderá doar. Caso ela tenha utilizado insulina uma única vez, não poderá doar.
Ao doar sangue você não engorda nem emagrece.
Não engrossa nem afina o sangue, é apenas um mito.
Não. A doação de sangue não está relacionada a nenhuma dependência.
Sim. O candidato deve apresentar documento original com foto, expedido pelo órgão oficial. Exemplos: Carteira de Identidade (RG ou RNE), passaporte, Carteira de Trabalho, Carteira de Identidade de Profissional, Carteira Nacional de Habilitação com foto e Certificado de Reservista.
Sim. Quem fez tatuagem há mais de um ano pode doar sangue.
Não. Ainda não há nenhum substituto do sangue.
Hoje sabemos que não existe sangue universal. Todas as pessoas têm características diferentes e por isso, quando necessitam de transfusão de sangue, precisamos fazer exames pré-transfusionais independente do grupo sanguíneo do doador e do receptor.
Após a coleta, a bolsa coletada é fracionada em componentes sangüíneos (concentrado de hemácias, de plaquetas e plasma). Esses componentes são liberados para uso somente após o resultado dos exames. As unidades que apresentam reatividade sorológica são descartadas. Uma única unidade doada pode beneficiar três pacientes.
É um sangue com característica especifica de baixa frequência na população e algumas vezes, pode ser uma característica familiar.
A satisfação de beneficiar pessoas que não têm outra opção e dependem do gesto de pessoas como você para se sentir melhor.
A vacinação para Hepatite B impede a doação por 48 horas.